Rede Amazônica de Inventários Florestais

Jungle Scene Jungle Scene Jungle Scene Jungle Scene Jungle Scene

Uma grande análise, incluindo milhares de árvores da Amazônia mostra que a maioria das espécies é restrita a condições úmidas e vulnerável à seca

  • Abril, 2016

Esquivel Muelbert et al 2016Uma grande análise, incluindo milhares de árvores da Amazônia mostra que a maioria das espécies é restrita a condições úmidas e vulnerável à seca.

O estudo publicado na revista Ecography analisou a distribuição de 2570 espécies de árvores da Amazônia em mais de 500 áreas monitoradas pelas redes de inventários florestais RAINFOR e ATDN para calcular a condição climática mais favorável para cada espécie.

Liderado por Adriane Esquivel Muelbert, estudante de doutorado brasileira na Universidade de Leeds, o time de 82 cientistas descobriu que a maior parte das espécies é claramente restrita à condições úmidas, enquanto as poucas espécies capazes de tolerar secas são amplamente distribuídas.

photo: Adriane Esquivel Muelbert 2015Esse padrão de distribuição sugere que a maioria das espécies de árvores da Amazônia pode não tolerar o aumento intensidade e duração da estação seca esperado para os próximos anos na região.  O estudo fornece uma base de referência única para examinar impactos das mudanças climáticas nas florestas Amazônicas.  Do ponto de vista conservacionista isso significa que as florestas muito úmidas na Amazônia e nos Andes podem ser ainda mais vitais do que já se sabia. Essas florestas não seriam apenas centros de diversidade, mas também podem ser os únicos locais onde muitas espécies serão capazes de sobreviver, considerando o crescente impacto sobre a maior floresta tropical do mundo.

Esse estudo é um esforço conjunto de pesquisadores da América Latina que contribuem para a RAINFOR e ATDN. O trabalho da Adriane é financiado pela European Research Council Advanced Research Grant concedida a Oliver Phillips.